Quarentena é para cumprir!

Não acontece só aos outros
Todos e cada um de nós pode ser o portador, o doente, o transmissor.
Vamos lá parar e pensar. Estamos perante um novo vírus, com uma taxa de contágio altíssima e exponencial, que pode sofrer mutações genéticas e que ainda se desconhece o tipo de sequelas que poderá deixar nos doentes infetados que sobrevivam.

Vejo mais fake news do que bom senso. Mais crítica do que ação.
Não quero nem sou alarmista, mas travar a sua progressão começa em cada um de nós.

Estão contra a atitude do governo em não fechar escolas? Então não levem os vossos filhos. A última palavra é a dos pais. Revoltados com a falta de civismo de acéfalos que vão para a praia? Resguardem-se.
Este é o tempo de criticar menos e fazer mais. Preocuparmos-nos mais com o que cada um de nós pode fazer, do que com aquilo que o vizinho do lado não está a fazer.
Fiquem por casa, comprem os alimentos necessário para a vossa família e não para três famílias, reforcem o sistema imunitário, insistam na higiene das mãos e passem a palavra.
Regras de higiene e de bom senso, imperam.
Saúde e juízo

Comentários


Adicionar comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *