#FOMEZERO by Alison de Jesus

FomeZero: As nossas ações são o nosso futuro

As nossas ações são o nosso futuro”, uma vez que um dos objetivos de desenvolvimento sustentável consiste em acabar com a fome, até 2030.

De facto, nos dias que correm já conseguimos uma grande evolução a nível tecnológico, industrial, científico e até já fomos à Lua. Contudo, ainda persiste o problema da fome. Segundo os dados mais recentes, mais de 800 milhões de pessoas no mundo, dorme com fome. E não é aquela fome que sentimos quando nos atrasamos ao almoço, é a fome crónica que mata.

É revoltante saber que conseguimos produzir alimentos para TODOS porém, 1 a cada 9 pessoas sofre de fome enquanto que toneladas de comida é desperdiçada. Isto significa que se gastam enormes quantidades de combustível, fertilizantes, pesticidas, água, terra e mão-de-obra para produzir alimentos que ninguém come.

Atualmente somos 7 bilhões de pessoas no mundo. Estima-se que em 2050 tenhamos 9 bilhões de bocas para alimentar, num Planeta com recursos cada vez mais limitados daí que torna-se crucial pensar na sustentabilidade alimentar.

Um futuro com #FomeZero onde TODOS têm acesso aos alimentos é possível se decidirmos agir agora. O que podemos fazer?

 Não desperdiçar comida: Compre apenas o necessário, elaborando para tal uma lista decompras antes de sair de casa. Outro passo importante é a conservação dos alimentos. Na despensa ou no frigorífico os produtos com prazo de validade mais curto devem ficar à frente para serem consumidos primeiro.

 Alguns alimentos podem ser consumidos fora do prazo de validade: A data limite de consumo, do tipo “Consumir até…”, está mais associada à segurança microbiológica e consta no rótulo de alimentos que rapidamente se deterioram, como queijo fresco, iogurte e carne de aves. A data de durabilidade mínima, do tipo “Consumir de preferência antes de…” ou “Consumir de preferência antes do fim de…”, consta no rótulo de alimentoscom prazos de validade mais longos como arroz, grão, bolachas, chocolates e massas. Neste caso o prazo de validade indica a data de máxima frescura e não a de segurança alimentar o que significa que os alimentos podem ser consumidos com segurança após a data indicada, desde que os nossos sentidos os aprovem em termos de cor, cheiro e sabor.

 Aproveite a água de cozedura dos hortícolas para confecionar as sopas e os cozidos. É importante que confecione quantidades adequadas de alimentos. Se houver sobras devem ser conservadas no frigorífico até 3 dias. Se não forexpectável consumi-las no prazo 3 dias então aí deverá optar pela congelação.

 Compre alimentos a produtores locais: Assim incentivamos à prática de uma agricultura a menor escala, com menor impacto ambiental e que respeita o equilíbrio do ecossistema e da biodiversidade.Evite o consumo de produtos que viajam milhares de quilómetros até chegar às nossas mesas.

 Dê preferência à proteína de origem vegetal:As leguminosas como o grão, feijão ou lentilhas são uma excelente e barata fonte proteica. Procure substituir no seu dia em detrimento de quantidades excessivas de carne ou peixe.

– Vegetais feios? Sim: A fruta bem como os hortícolas são muitas vezes deitados fora apenas por não preencherem alguns requisitos de beleza, mas na verdade têm um sabor idêntico, senão melhor. Escolha, por isso os vegetais menos bonitosmas igualmente saborosos. Afinal o essencial é invisível aos olhos. Procure ainda diferentes variedades, respeitando sempre a lei da época”.

Todos temos um papel importante na sociedade. Não sejamos consumidores passivos! A mudança está em todos nós.

Alison Karina de Jesus

Nutricionista (2874N)

facebook.com/nutricionalmentebem

instagram.com/nutricionalmentebem

alisonkjesusnutricionista@gmail.com

 

Comentários


    Adicionar comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *