Férias! Olá e adeus

Fomos de férias. Rumo a sul. O Algarve é sempre uma boa opção quando se procura bom tempo, boas praias, sol quente e sossego. Sim, sossego, que o mês de Setembro tem também esta magia. Escolhemos um hotel com tudo incluído, uma opção particularmente recorrente quando vamos para fora mas que aqui em Portugal foi novidade absoluta. O conforto das férias passa também por aqui. Refeições sem olhar à lista, bebidas à discrição, lanches vários, que a conta está paga e a comida toda exposta convida a dentadas sem apetite mas com muita gula. 

Foram 5 dias – nem uma semana, caraças –  a saber a férias pela diferença do ambiente e das rotinas dos locais. Mas as horas e os hábitos de quem tem crianças estavam lá todos. Acordar cedo, almoçar cedo, fazer (muitas) atividades no horário do sol forte e/ou ir para o quarto do hotel dormir com o bebé. Revezávamos -nos o mais que podíamos. 

Demos muito colo, aturamos muitas birras, mudamos muitas fraldas e nadamos em piscinas de 35cm de altura. As férias foram deles, dos mais pequenos, com os escravos dos pais a fazer-lhes tudo e a saírem das férias mais cansados do que quando entraram. 

Íamos para a cama uns 45 minutos – no limite – mais tarde do que o habitual. Deitarmo-nos às 22h30 foi assim a coisa mais louca que cometemos. Ou talvez não. Num dia mais nebuloso, aproveitámos para ir ao Zoomarine. E andámos numa mini montanha russa. E descemos o Rapid River e saímos de lá totalmente encharcados. Mais uma vez revezamo-nos, que o Afonso ainda não está para estas loucuras. Andámos num carrossel de encantar, num comboio divertido e assimilamos todos os espectáculos de animais a que tínhamos direito. Brincámos às escondidas, demos as mãos para as escaladas, jogámos mini golf e comemos muitas batatas fritas. 

Chegávamos à cama estourados e pouco bronzeados. As espreguiçadeiras da nossa preguiça sentiram pouco a nossa presença. Mas saímos destas férias mais ricos. 

Vimos os nossos filhos felizes e sentimo-nos, por momentos, assim como eles. Crianças. E como me sentia a descansar enquanto o fui. Criança. 

Vossa,

JT 

Comentários


    Adicionar comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *