A 1a sopa do Afonso – hip hip hurra!!

Bom. Não foi assim tão festivo quanto este título, mas um momento como este, o da primeira sopa de um bebé, necessita de alguma pompa e circunstância na sua apresentação. Afinal, será a 1a das milhentas sopas que o meu filho comerá ao longo da sua vida e mãe que é mãe o que é um filho devoto de sopa. Ir a um restaurante e ouvir o filho dizer que está cheio de fome e que quer comer sopa, quando a criança da mesa ao lado faz birra por batatas fritas, é coisa para nos fazer sentir as melhores mães gastronómicas da galáxia. Como tal, é imperativo que a primeira sopa seja um ratatouille de sabores, quando na realidade só pode levar cenoura e batata. 

A agitação típica do dia a dia fez-se sentir na primeira sopa do Afonso. Ponho a bela da cenoura biológica mas…falta-me a batata doce. Só tinnha batata normal. E assim foi a primeira sopa do Afonso. Cenoura bio com batata “vulgaris”, o que tinha tudo para dar asneira e repulsa. E assim foi.


(O pai deu a primeira sopa, a mana fez questão de agarrar a colher, a mãe ficou encarregue de registar o momento e mandar bitaites)

Entre o “o que é isto na minha boca?!” , passando  pelo “que coisa é esta que querem que engula?!”, os 2ml de sopa que o Afonso ingeriu nas 352 tentativas, parecem ter sido uma vitória. Não foi assim tão mau. Não ficou assim tão sujo. Não estremeceu assim tanto. Já vos disse que sou uma pessoa muito otimista, certo?

Apesar da experiência na maternidade, vale a pena recuperar algumas dicas úteis na hora de darmos a primeira/a sopas ao bebé. Espero que vos sejam úteis: 
1 – Não esperar pela hora exata da refeição que o bebé tomaria como leite. O ideal é fazê-lo 1h antes da próxima tomada de leite, para ainda não estar cheio de fome e assim mais receptivo a novas experiências. Estar sem sono é também muitooo importante 

2 – A toma das primeiras sopas devem ser um momento rápido. 5 minutos bem animados! 

3 – A colherinha deve ser bem pequena e adaptada à boca do bebé, num material que não o magoe

4 – A temperatura é fundamental. Sopinha morna! Não esquecer que a sopa vai parar a boca do bebé, mas também às bochechas, mãos , orelhas, nariz…

5 – O bebés deverá ingerir cerca de 150 ml de sopa. Mas escusamos de achar que assim será ao fim da primeira semana. Gerir as expectativas é importante. De 1 a 2 colheradas num dia, para 8 a 10 do próximo. Com calma. Como diz esse grande poeta contemporâneo “…despacito…”

6 – Ingredientes – cada pediatra dará a sua instrução que deverá ser tomada em conta. No caso do do Afonso, indicou sopa de cenoura e batata e adicionar um legume a cada semana, sem sal e apenas um fio de azeite no fim da cozedura 

7 – A sopa deve ser feita diariamente. Façam-na por isso em pequena quantidade para evitar desperdício 

8 – Truque de mãe !! coloquem batata doce !! Não só dará um sabor doce à sopa, como é mais rica nutricionalmente. É que, apesar dos bebés não terem nenhuma referência do sabor, nascemos já com preferências 

9 – Ambiente calmo é fundamental. Tudo é novo para o bebé. Da textura à posição sentada para comer 

11 – Toalhitas . Um pacote inteiro! Para limpar tudo. Mãos, cabelo, paredes…

10 – Keep Calm que cada bebé é diferente e hão-de conseguir que a maior parte da sopa vá parar à boca e não às bochechas. Numa semana a coisa dá-se. Com persistência, paciência e risota à mistura!

Vossa, 

JT 

Comentários


    Adicionar comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *