Hora de comer? A importância de fazê-lo em família – por Alison Jesus

A vida moderna alterou significativamente os hábitos que deveriam de ser preservados, para benefício não só da nossa saúde mas também do nosso bem-estar. A tão tradicional “mesa de jantar” que noutros tempos era símbolo da união em família, é cada vez menos assídua na nossa casa: A falta de espaço ou de tempo, o crescimento das famílias monoparentais, o hábito de comer com o prato no colo a ver televisão ou enquanto se está no computador ou no telemóvel.

A família é, em verdade, um local não só de afetos mas também de aprendizagem e de transmissão de valores que nos acompanham ao longo da vida. Assim, podemos dizer que a família é um “catalisador” de saberes, competências e atitudes, sendo componente essencial na educação para a saúde que pressupõe a aprendizagem dos hábitos saudáveis, em que a alimentação faz parte! Os pais bem como toda a família têm uma influência marcante no comportamento e no padrão alimentar das crianças.

As refeições em família acarretam vários benefícios para toda a família, pois permitem a troca de conhecimento mútuo e de experiências, fortalecendo as relações familiares.

Sabia que as crianças e adolescentes que fazem as refeições em família têm hábitos alimentares saudáveis? Pois ingerem maiores quantidades de frutas, vegetais e leguminosas em relação aos que comem fora de casa.

Lembre-se que a sua presença na hora do almoço/jantar, é fundamental para transmitir aos seus filhos os bons exemplos que serão seguidos durante a vida adulta. Se a criança vê que os pais comem hortícolas, fruta, peixe, leguminosas, vai ter vontade de querer imitar e, portanto, experimentar.


(Foto Google)

As crianças estão sempre muito atentas e captam tudo à sua volta e tenha em mente que os valores que são demonstrados pela família são transmitidos mais que pelo fazem do que pelo que é dito: As práticas valem muito mais do que as teorias!

O que é que os pais, como modelos de referência devem transmitir aos meus pequeninos?

Evitar mastigar demasiado rápido;

Servirem-se de quantidades adequadas no prato;

Evitar fazer comentários negativos relativamente a um alimento em específico: por exemplo “a papaia sabe a vómito”

Envolver a criança na aquisição dos alimentos bem como na sua preparação, confeção e empratamento. Organize uma espécie de MasterChef com os pequeninos lá em casa!

Respeitar os horários das refeições e fazê-las em ambiente tranquilo e acolhedor, sem discussões e sem comentários que causem desconforto.

Estar atento à refeição e ao convívio familiar: evitar para tal a televisão, o telemóvel, tablet ou computador.

Praticar em conjunto atividade física: seja através de caminhadas ou corridas. Pode organizar uma mini maratona com a família!

Não se esqueça que é “desde pequenino que se torce o pepino!”

Alison Karina de Jesus

Nutricionista (2874N)

alisonkjesusnutricionista@gmail.com

facebook.com/umaquestaodealimentacao/

 

Comentários


    Adicionar comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *