O tormento das viagens….

Sejamos honestos! Os filhos são a melhor coisa que temos na vida, mas são também aqueles capazes de nos pôr a vida do avesso!

Uma viagem ao Porto para passar o fim de semana com a família, assemelha-se a uma emigração! Leva-se desde as fraldas, até aos tupperware com comida, passando pelos paninhos e bonequinhos. Depois vem o leite, as papas e as roupinhas que vão em triplicado, para o caso de haver uma evasão de grandes dimensões.

Quando olhamos para o lado, já a quantidade de sacos é tal, que reparamos que o armário esvaziou e que levamos a roupa toda! “Que se lixe! Antes levar a mais do que a menos!”

E é aqui, é aqui, que reside umas das situações mais dramáticas e intrigantes que os casais enfrentam! A colocação das malas na bagageira!

É neste momento que os homens nos proíbem de nos aproximarmos da bagageira! “Deixa! Eu faço isto!” Como se aquilo fosse coisa que só eles conseguem fazer! “Ui que é tão difícil!!”. Ficam ali a analisar as malas, a tirar-lhes as medidas com os olhos e começam a jogar!Sim, porque a forma como colocam as malas na bagageira, assemelha-se a um jogo de tetris!! E quando tudo aquilo estava mais que encaixado, vimos nós “…onde está a mala do bebé?!”; “Acabei de a pôr ali em baixo!Como era estreitinha, ficava mesmo bem ali, metida entre a cesta do azeite e a dos enchidos!No fundo, bem lá no fundo….” e este “bem lá no fundo” ecoa no nosso cérebro! E é aqui  que começa a discussão. Nós, irritadas porque eles não pensam e não são práticos  e eles porque….porque…bem, levamos apenas algumas malas a mais….

Confesso que odeio e não tenho jeito nenhum para fazer as malas! Pagava!É que se pudesse, pagava para me fazerem essa penosa tarefa. Aquela coisa do pensar nos dias, nos conjuntos, no tempo que vai fazer , no chinelo para a piscina e para o quarto, no vestido caso haja um jantar mais formal, no casaco que se leva “caso o tempo esfrie”…isto é coisa que até me dá um esgotamento só de pensar. 

E depois o carro vai cheio até ao tecto. Leva o carrinho do bebé (até agora nunca o usamos no Porto, mas “não vá ser preciso para qualquer eventualidade”), mala do casal (como se as minhas coisas coubessem junto das dele!Inacreditável que ele ache isso!), mais o saco do cão (que leva comida, os pentes para o pêlo, a loção, os brinquedos dele…), depois mais uma mala com os meus produtos de higiene, depois outra com sapatos, a banheira do bebé, a mala com os artigos do bebé, a prancha de bodyboard (não vá ele querer apanhar aquelas ondas…) e nisto, já só se consegue espreitar por um mini faixa, a traseira do carro. E porque os casacos não cabem na mala, toca de os pôr no assento! Mas porque todos os assentos estão ocupados por pessoas e por um animal que se acha gente, toca de ir no meu colo! E neste momento, em que o sorriso devia estar escancarado no meu rosto “afinal, vamos de fim de semana!”, já só respiro fundo e, mentalmente varro a nossa lista de artigos indispensáveis para a viagem…”Estás safo Afonso! A mamã pôs-te junto das malas que vão à frente!”

Vossa

JT

Comentários

  1. Emma Dantas

    22 Janeiro de 2014 às 23:10

    Responder

    Agora que moro no Algarve, revejo-me na tua descrição nas viagens ao Porto para ver a família e dois filhos às costas… 😀

    • Joana Teles

      22 Janeiro de 2014 às 23:18

      Responder

      Emma! O teu nome é inconfundível e vi logo quem eras!! Espero que estejas bem! Bom de ver que não sou a única neste filme ;)! Bem-vinda ao blog! Espero ver-te aqui mais vezes! Grande beijinho!

  2. Joaquim Adelino

    23 Janeiro de 2014 às 1:05

    Responder

    Parabéns pelo blogue, é prático e simples não sendo necessário inventar nada para ter sempre uma boa história para contar. Gostei!

    • Joana Teles

      23 Janeiro de 2014 às 11:07

      Responder

      Muito obrigada Joaquim! Por isso são os meus bastidores profissionais e pessoais. Aqui não se inventa…conto o que se passa mesmo comigo! Obrigada pelas suas palavras! São um incentivo! Espero tê-lo como leitor assíduo ;)!

  3. Estela

    23 Janeiro de 2014 às 10:01

    Responder

    Claro que não está sozinha neste episódio… a boa notícia é que passa … com o tempo (algum…)!! bj

    • Joana Teles

      23 Janeiro de 2014 às 11:08

      Responder

      Ai Estela…haja paciência ;)! Beijinhos e obrigada! Até breve!


Adicionar comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *