Voltei às minhas calças!!

Acabei as minhas 39 semanas e 5 dias de gravidez com uns jeitosos 15 kg a mais. Pumbas, bati nos 70 kg, coisa que nunca na minha vida alcancei. Confesso que foi um misto de “respira fundo que quilo e meio é da roupa” com “calma que isto vai ao sítio!” com “a partir de hoje só como couves!”

Não havia muito a cortar, já que não comia nada de especial, mas a ausência de exercício físico aos 5 meses de gestação (pelo risco de parto prematuro) com a combinação de baixa e por conseguinte menos atividade a todos os níveis, fizeram com que o ponteiro da balança fosse subindo. Um malvado. 

Mas tudo isto já lá vai e hoje o dia é histórico! 20 dias após o nascimento do meu Baby, digo olá às minhas calças de sempre! Tamanho 34, ainda que nuns jeans elásticos, mas caramba, servem e o botão aperta!!! 

Decreto feriado nacional por estas bandas, com direito a lançamento de balões, arremesso de confetis e fogo de artifício. As minha meninas servem-meeeee outra vezzzzzzz!!!

Para quem foi mãe, bem sabe a conquista que isto significa. Voltar a usar as nossas calças não é só poder voltar a vestir a nossa roupa. É uma metáfora que representa o regresso à nossa normalidade enquanto mulheres, ao nosso corpo de sempre, à imagem que temos de nos próprias e a um recomeço e conquista pessoal. 

Coloquei um Boomerang nas minhas redes sociais e foi uma chuvada de comentários a perguntar qual o segredo, o nome da cinta, etc, etc. A resposta não podia ser mais simples. Amamentação, cinta e um óleo redutor. Nada mais. 

Com apenas 3 semanas de pós-parto de uma cesariana ainda estou impossibilitada de fazer abdominais e também sou-vos sincera, não me tenho privado de comer seja o que for. Dá-me vontade de comer pão? um chocolate? vou-me a eles valha-me o senhor. É aproveitar agora que sou um pacote de leite ambulante com produção 24horas por dia pois nunca mais na minha vidinha volto a queimar calorias assim! E aqui reside a maior parte do sucesso desta minha vitória. A amamentação!

Quando amamentamos, podemos gastar até cerca de 600 a 800 calorias, o equivalente a uma corrida de 8km sensivelmente. A par deste enorme desgaste calórico, a amamentação promove a contração uterina, pois a ocitocina é libertada na amamentação. Além disso, esta hormona reduz as perdas de sangue e o risco de hemorragia pós-parto. Também permite  uma melhor remineralização óssea e, por isso, diminui o risco de osteoporose após a menopausa. Vários estudos científicos indicam também que a amamentação a longo prazo (num total de seis a doze meses) contribui para a redução do risco de cancro da mama, ovários e útero. O pleno! 

Outra vantagem muuuuuitoooo importante é que a amamentação promove a utilização das “reservas” acumuladas durante os nove meses de gravidez e aumenta a taxa de gasto energético do seu organismo. Ou seja, au revoir regueifas e preguinhas! 

Outra parceira de peso tem sido a cinta. Como já aqui tinha referido, uso esta cinta da Cantaloop. Muito confortável, dá um bom apoio anterior e posterior graças ao reforço elástico e um detalhe que faz toda a diferença. A forma e design impedem que a cinta se enrole e desça ao longo da barriga, o que permite manter uma ação intensiva e constante.


Encomendei no site da sweetcare e tenho a destacar o excelente apoio dado. Quis mandar vir o S mas fui aconselhada ao M e ainda bem. A ideia era vestir a cinta pelas pernas, não pelos braços. Excesso de otimismo é o que é. 

Outro amigalhaço tem sido este concentrado adelgaçante da Caudalie

Uso na zona da barriga e nas pernas, locais bem a precisar de ficar lisos, se é que me entendem…

Daqui a 3 semanas começo as massagens drenantes e o ginásio, que as calças podem servir, mas o caminhar à gelatina não. Tonificação precisassse! 

Agora poderão perguntar. “É tudo muito lindo, mas quantos quilos emagreceste tu, Joana Maria? ” 

Não faço ideia. 

Ainda não me pesei. Não tenho balança em casa sequer. Até agora, basta voltar a vestir as minhas calças de sempre para me sentir maravilhosa! 

Força babes! Se comigo funciona convosco também!

Vossa,

JT

Comentários


Adicionar comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *