278 dias depois

Adeus adeus barrigão, dor nas costas e  contrações vespertinas. Farewell pernas cansadas, andar de pato, passagens à frente nas filas. O derradeiro dia de grávida é hoje! Em breve vou poder olhar em linha reta para os meus pés, encostar-me à banca da cozinha, dobrar-me e voltar a levantar-me em menos de um minuto e, muito importante, levantar-me da cama à primeira!

O infindável mundo da normalidade espera por mim, mas ao invés de ter uma longa lista de desejos pós-parto, o meu melancólico coração só me faz pensar que hoje é último dia desta fase tão maravilhosa da minha vida. 

É impossível não fazer um flasback do dia em que soube que estava grávida, passando pelos primeiros meses, pelo diagnóstico de risco de parto prematuro e todas as mudanças da minha vida a que isto obrigou. Tive de fazer pause na minha vida profissional. E o Afonso começa já a ensinar-me na barriga. Ensinou-me a parar. A dizer não. A estabelecer prioridades. E isso fez-me muito bem.

Descobri o admirável mundo da televisão por cabo e seus programas de utilidade tão interessante quanto a de um pioné no deserto, assim como a infinidade de vídeos da internet, que nos “ensinam” sobre bricolage, gastronomia, maquilhagem, como domar caracóis ou massajar unhas. Tornei-me muito mais culta.

Por ser a última gravidez, fiz todas as piroseiras que se querem feitas nesta fase da vida. Roupas de grávida (da BBme by Joana Teles, claro!), e setencentas mil fotos de todas as formas e feitios. 

É certo que não fui ao extremo de fazer uma barriga de gesso, mas só porque nunca percebi qual a utilidade de ter um pedaço de gesso com umas maminhas e uma barriga redonda definida. Para lembrança das formas da gravidez, basta pegar nas roupas de grávida e na memória fotográfica do peso na balança a aumentar, para termos uma linda memória…

Mas deixa saudades. Muitas mesmo.  Ver a barriga a aumentar, o nosso corpo a modificar e aquele momento mágico e inesquecível de sentir o bebé a dar pontapés. Das melhores sensações da vida!

É aproveitar mesmo cada dia, ainda que a retenção de líquidos e as hemorróides ameacem esse momento. É fotografar, olhar ao espelho, acariciar, fazer vídeos, mostrar ao mundo e usufruir! 

Nesta barriga cresceu o meu bebé e esta barriga será sempre o sinónimo da vida nova e da nova vida que começa para mim…amanhã! 


Usufruam da vossa até à última!

Vossa,

JT

Comentários


Adicionar comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *