Visita à maternidade – porque fazer

As mamãs”repetentes” poderão achar que a visita à maternidade é absolutamente dispensável. Já sabem como é, o que vão ver e sejamos honestas, quando as dores aparecerem e os olhos começaram a revirar, só queremos trepar paredes e que alguém nos dê a epidural – “JÁ!” – estejamos nós no Camboja, Freixo de Espada à Cinta ou na sala de partos. Na prática, vamos lá entrar de maca, com a cabeça apenas focada no que está para acontecer e pouco nas tintas se a sala de partos fica à esquerda ou à direita dos elevadores. 

Claro que esta é a visão bem prática da coisa, já que a visita à maternidade é muito mais do que isto. Tem a função de nos ambientalizar ao espaço, às pessoas, aos equipamentos, às comodidades e ajuda na escolha das peças a levar na mala da maternidade. Por exemplo, no Hospital Lusíadas Lisboa, onde vou ter o Baby – será o primeiro membro lisboeta da família, vejam só ao que isto chegou, ahahah –  dão uma série de material (as fraldas, os cremes, os descartáveis para as mamãs, etc) o que significa que a minha mala pesará menos uns 10 kgs o que libertará espaço para a minha bolsa de maquilhagem, babyliss, etc, etc. Coisas realmente importantes, portanto. 

No hospital que escolheram para ter o vosso Baby, podem ter a opção de selecionar entre a visita à maternidade em grupo ou privada, que deverão marcar com antecedência. Os 7 meses de gravidez são uma boa altura para o fazerem. Claro que o vosso man deverá acompanhar-vos, até porque é ele que efetivamente deverá estar atento aos detalhes. Sim, eles deverão ter essa pressão, babes. No dia D o nosso foco será outro! 

Uma das coisas que me fez alguma confusão, foi quando a enfermeira mostrou uma sala onde os bebés podem ficar para as mães descansarem. Really?! Há mães que fazem isto? 

À parte deste apontamento, na visita à maternidade conhecemos o espaço, o quarto, a localização das salas de pessoal médico e de enfermagem, a sala de partos, o recobro, a sala das encubadoras e somos brifados sobre o horário das visitas, existência ou não de serviço de nutricionista para as refeições durante a estadia e outros detalhes, como por exemplo a existência de pulseiras eletrónicas para os bebés, obrigatória por lei, thank God! Podemos também tirar dúvidas específicas, como por exemplo, se são um Hospital parceiro da amamentação, cumprindo a premissa de colocar o bebé ao peito da mãe durante a primeira hora de vida. No caso dos Lusíadas, oferecem as primeiras vacinas ao bebé, o teste do pézinho, rastreio auditivo e acompanhamento pós-parto. Informem-se destes e de outros detalhes junto do vosso hospital para depois estarem mais tranquilas e focadas nos primeiros dias de vida do vosso bebé. 

Digamos que na visita à maternidade vivemos a emoção do grande dia e começamos a imaginar como ele será. Serve essencialmente para nos tranquilizar, ambientar e perceber que no Big Day teremos todo o apoio de uma equipa especializada que tudo fará para nos dar a melhor experiência da nossa vida. E que a mudará para sempre!

Vossa,

JT

Comentários


Adicionar comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *