Quando o engano é bom…

No mês passado publiquei um post a propósito de uma informação que correu mundo. As botas da UGG seriam feitas com pele de carneiro, nuns maus tratos pouco dignos de uma marca tão prestigiada, segundo dados da PETA. Como é natural, li, reli o artigo e pesquisei sobre o tema. A chancela da PETA e tudo o que era descrito pareciam levar-me para a triste e cruel realidade. Como tal, e por ser uma acérrima defensora dos animais, decidi publicar o post, desprovida de palavra meigas face ao exposto pela PETA. Podem ler tudo aqui

Passado algum tempo fui contactado pela UGG, que se mostrou interessada em repor a verdade. Numa troca de mail’s puseram à  minha disposição uma série de informação que nega toda a incriminação levada a cabo pela PETA. Admito que inicialmente não  estava muito receptiva, mas explicaram-me que o procedimento que a PETA alega, é replicado por outras marcas do género. O porquê de usarem o nome da UGG? Por ser mais forte, mais impactante. Segundo a marca, a reposição da verdade tem sido uma dura batalha, pelo que vêm em cada ação como a minha, uma forma de comunicar a verdade. Admito que fiquei muito aliviada. É sempre bom perceber que “nem tudo o que parece é” e que as boas práticas estão de mãos dadas com as boas marcas. Aqui fica a exposição da marca para que, tal como eu, saibam a real e respeitadora forma como a UGG trabalha. Atentem ao ponto 4 –  aqui

Não tenho problema algum em assumir que, embora devidamente fundamentada  pela gigante e respeita PETA, fui mais uma pessoa que lançou uma notícia errada, assumindo assim de sorriso nos lábios, coração e consciência mais leve, que a UGG respeita os animais. 

A todas as leitoras que tanto me escreveram falando desta questão, aqui fica reposta a verdade! 

E de repente, parece que já vejo mais beleza nas botas da UGG 😉

  

  

 É tão bom quantos os enganos  são assim!
Até já,

Vossa,

J! 

Comentários


Adicionar comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *