Desabafo do balneário

Tenho de desabafar com vocês até para perceber que não sou a única a pensar isto!
Hoje fui ao ginásio (porque sou uma pessoa que se cuida, pois claro!) e o momento do balneário é aquele me intriga sempre! Nalguns casos chega a assustar!
As mulheres que são conhecidas por serem rápidas e práticas, perdem esse quase estatuto social, porque nos balneários demoram horrores!
Há de tudo!

Há aquelas que usam a toalha à volta do corpo com tanto afinco, que parece que se ela cair, cai um pedaço delas atrás! Põem creme e massajam-se, num equilíbrio com a toalha, típico de um trapezista do Cirque Du Soleil!
Até se conseguem vestir sem largar a toalha! Acho fascinante! Juro!

Depois há aquelas que gostam de se pavonear pelo balneário afora!
Besuntam-se nos cremes do ginásio (também é lindo, pagam uns 70€ por mês para frequentá-lo, mas não podem dar 5€ por um creme de corpo) e esfregam-se à frente de todas. Aqui há dois “modelos”. As que o fazem tão energicamente que se ouvem as peles a bater umas nas outras – BLHAC, BLHAC (que foi? É difícil imitar o som!) e há aquelas que o fazem a uma velocidade capaz de fazer um caracol parecer ultra-sónico.
Aquilo é limpar com a toalha o meio dos dedos , por baixo das unhas, as pregas da pele, o cabelo fio a fio, tudo com um pormenor que fico sempre a pensar se aquela mulher não terá uma carência afetiva qualquer! Depois vem o creme! Aquilo é pôr creme o tempo suficiente para eu ir fazer uma aula e voltar! Uma leeeeeennnntttttiiiiidddddãoooooo!
E fazem-no com gosto, porque espreitam pelo canto do olho para ver se há quem repare naquele momento de pseudo-sensualidade!

Depois há as que andam de um lado para o outro a fazer não se sabe muito bem o quê, mas que gostam de fazer o passeio turístico pelo ginásio nuas! Também me intriga bastante! Falam ao tlm, riem alto, petiscam a sande que levaram, olham para as outras de cima a baixo, enfim um mistério ao nível do triângulo das Bermudas!

No meio disto tudo, já estou eu quase a sair, cruzo-me com aquela que fez a aula comigo. A tal que levou brincos e colares, um fato especial e que saiu da aula como chegou. Seca que nem uma uva passa!
Seca o cabelo como veio ao mundo, baixa-se para apanhar um gancho imaginário, faz boquinhas para o espelho e olha por ele para ver se existe alguma mulher que morra de inveja daquele corpo…

Das três uma, ou há muito narcisismo, ou há muito carência ou a homossexualidade nos balneários do mulherio dá pelo nome de higiene!
Pronto, precisava de desabafar! Obrigada por estarem desse lado :p!

Até já!
Vossa
J!

Comentários

  1. Jose carlos

    30 Abril de 2014 às 14:33

    Responder

    Joana, não sei porquê mas parecia a descrição no dos homens. A única diferença é que em vez de se dizer, Ola Joana! diz-se. Ola João!


Adicionar comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *