É dos momentos mais ternurentos e divertidos cá de casa! Ver a MI e o Pepe a brincar é absolutamente delicioso! E bonito! Os animais percebem quando estão perante um ser mais pequeno e frágil (bom, no caso dos 4 kg de Pepe, a parte do pequeno é discutível) e teem uma delicadeza inata!

À parte da graça que é vê-los juntos, há que realçar os benefícios das relações entre bebés e cães. Se é daquelas pessoas que não percebe como há pais que deixam os cães aproximarem-se dos bebés ou que acha que se trata de falta de higiene, talvez vá mudar de ideias.

Está provado que o contacto dos bebés (com menos de 1 ano de idade) com cães ,reduz até metade o risco de desenvolver alergias! Este reforço/amadurecimento na defesa do organismo, prende-se com o facto de haver um aumento de certas proteínas que desempenham um papel importante na regulação do sistema imunológico. As infeções no ouvido, por exemplo, diminuem em 44%!  Estas crianças são também mais carinhosas e sociáveis.

Claro que para haver uma boa relação, os cães teem de perceber que o novo ser não lhe vai roubar a atenção dos donos. Devidamente treinados para isso, superam esse receio muito facilmente. Eis algumas dicas:

– Na reta final da gravidez, ande pela casa com algo na mão, como se estivesse a dar colo. O cão vai habituar-se ao gesto.

– Quando chegar da maternidade, dê atenção ao seu cão. Ele esteve dias sem a ver e tem saudades suas. Estes carinhos vão deixá-lo mais confortável para o passo seguinte.

– Deixe o cão aproximar-se da alcofa do bebé para o cheirar. No meu caso, o meu cão cheirou e ficou a tremer imenso, mostrando que estava nervoso e não sabia como reagir.

– Integre o cão nas novas rotinas do bebé. Vai passear com o seu bebé? Leve o seu cão também! E já agora, deixe um biscoitinho no carrinho. O cão associa essa dádiva ao bebé, aproximando assim a relação de ambos.

– Outro truque é deixar algum paninho com o cheiro do bebé, junto de um local que o cão goste (taça de comida por exemplo). A associação a coisas positivas, é um excelente reforço! Para além disso, os cães entendem que o bebé também lhe proporciona alimento e retribuirá em carinhos.

– Não afaste o cãe severamente quando ele se aproximar do bebé. Mostre-lhe com calma a distância que quer que o cão respeite. Se for violento para o seu cão, ele irá ver o bebé como um elemento que promove a distância entre ele e o seu querido dono!

Depois de estabelecida a harmonia entre todos, é só usufruir dos deliciosos momentos que cão e bebé nos proporcionam! Uma fofura!

Bom domingo! Beijinhos

Vossa

J!

 

Comentários

  1. José (kok)

    9 Fevereiro de 2014 às 21:01

    Responder

    DE cães? Adoro-os. Desde criança que fui habituado a cães e hoje tenho uma cadela rafeirosa, de nome MIGAS porque é alentejana (e entre Migas, Açorda ou Gaspacho… ) e que é uma doçura de meiguice.
    É certo que impede alguns passeios e estadias ainda que curtas, fora de casa.
    Mas a companhia e o carinho e a amizade que nos dedica é imensa e ultrapassa aquela situação.

    Beijos com sorrisos! E continui e ser feliz.

    • Joana Teles

      10 Fevereiro de 2014 às 18:44

      Responder

      Olá José! Migas, que nome tão giro! Os cães são verdadeiros amigos e companheiros! E isso vale todos os sacrifícios! Beijinhos e obrigada pela mensagem!

  2. Ana Sá

    10 Fevereiro de 2014 às 23:41

    Responder

    Ternura…! Eu também tenho um Bob (Golden Retriever), super meigo, brincalhão, protetor e já salvou uma vida!!
    Se eu podia viver sem o meu Bob?!… Nãooo! :)

    • Joana Teles

      13 Fevereiro de 2014 às 15:57

      Responder

      Os animais são do melhor! Parabéns ao valente Bob!


Adicionar comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *